A CRISE ÉTICA E OS DESAFIOS DO DIREITO NO SÉCULO XXI: UM OLHAR SOBRE O FILME O ADVOGADO DO DIABO, DE TAYLOR HACKFORD

RESUMO

Os últimos acontecimentos ocorridos no Brasil envolvendo agentes públicos e privados em desvios de verbas públicas denunciam um mal do século: a dissolução da comunidade ética, cujos códigos prometiam uma vida boa para todos. Mas, por outro lado, tais eventos impõem, a todos nós, um grande desafio que os juristas têm pela frente. É que o desfecho desses episódios expôs publicamente promotores, advogados, delegados e juízes, cada um deles questionado na sua atuação profissional.

Diante disso é urgente perguntar: o advogado pode tudo na defesa de seu cliente? Os investigadores, acusadores e juízes podem tudo em nome da repressão aos criminosos de colarinho branco? A justiça pode entrar em conflito com a ética? Existe realmente uma ética para o advogado e outra para o juiz, promotor e policial? A ética profissional ou deontológica pode se divorciar de uma ética filosófica que nos obriga a revisar permanentemente nossos códigos de conduta? A nossa legislação ética resolve estas questões?

Os advogados vivem aflitos sobre o que podem e o que não podem fazer, seja na relação com seus clientes e com os outros profissionais do direito, seja na relação com seus colegas e os membros da magistratura e Ministério Público. O empobrecimento da cultura jurídica, o aviltamento das profissões jurídicas e as incertezas econômicas do nosso tempo aprofundam as dificuldades de construir uma carreira decente, sobretudo para os recém-formados, obrigando a repensar o futuro dos juristas neste século em que a crise ética é apenas mais uma entre muitas outras crises.

Toda a comunidade jurídica, especialmente os advogados, devem tomar parte nesta discussão.

CARGA HORÁRIA

– 2 horas (com direito a certificado).

PÚBLICO ALVO

– Estudantes de Direito;
– Profissionais em geral.